BANCO DE QUESTÕES

Por Matéria


OAB - BR / Segunda Fase


Exercício Trecho enunciado da questão Ano Entidade promotora Visualizar
49975

Marcelo ajuizou ação de cobrança, pelo rito ordinário, em face de Diogo. Os autos foram distribuídos para a 2ª Vara Cível da Comarca ‘X’, do Estado ‘Y’, tramitando pelo sistema digital.

Caso o patrono de Diogo não consiga enviar sua contestação, no último dia do prazo, por indisponibilidade do sistema devido a motivos técnicos, haverá preclusão temporal?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49974

Retornando de um campeonato em Las Vegas, Tobias, lutador de artes marciais, surpreende-se ao ver sua foto estampada em álbum de figurinhas intitulado “Os Maiores Lutadores de Todos os Tempos”, à venda nas bancas de todo o Brasil. Assessorado por um advogado de sua confiança, Tobias propõe em face da editora responsável pela publicação ação judicial de indenização por danos morais decorrentes do uso não autorizado de sua imagem.

A editora contesta a ação argumentando que a obra não expõe Tobias ao desprezo público nem acarreta qualquer prejuízo à sua honra, tratando-se, muito ao contrário, de uma homenagem ao lutador, por apontá-lo como um dos maiores lutadores de todos os tempos. De fato, sob a foto de Tobias, aparecem expressões como “grande guerreiro” e “excepcional gladiador”, além de outros elogios à sua atuação nos ringues e arenas.

Caso Tobias tivesse falecido antes da publicação do álbum, seus descendentes poderiam propor a referida ação indenizatória?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49973

Retornando de um campeonato em Las Vegas, Tobias, lutador de artes marciais, surpreende-se ao ver sua foto estampada em álbum de figurinhas intitulado “Os Maiores Lutadores de Todos os Tempos”, à venda nas bancas de todo o Brasil. Assessorado por um advogado de sua confiança, Tobias propõe em face da editora responsável pela publicação ação judicial de indenização por danos morais decorrentes do uso não autorizado de sua imagem.

A editora contesta a ação argumentando que a obra não expõe Tobias ao desprezo público nem acarreta qualquer prejuízo à sua honra, tratando-se, muito ao contrário, de uma homenagem ao lutador, por apontá-lo como um dos maiores lutadores de todos os tempos. De fato, sob a foto de Tobias, aparecem expressões como “grande guerreiro” e “excepcional gladiador”, além de outros elogios à sua atuação nos ringues e arenas.

É cabível a indenização pleiteada por Tobias no caso narrado acima?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49972

Julieta possui dois filhos, Pedro e Miguel. Ao longo da vida, amealhou patrimônio no valor de R$1.000.000,00 (um milhão de reais). Diante da idade avançada, Julieta resolveu doar ao seu filho Pedro - o qual sempre foi mais atencioso com a mãe - a quantia de R$600.000,00. Miguel, indignado, procura você na qualidade de advogado, solicitando providências.

É válido o contrato de doação?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49971

Em 10 de abril de 2013, Paula adquiriu em uma loja de eletrodomésticos um secador de cabelos de última geração. Ao tentar utilizá-lo pela primeira vez, o aparelho explodiu, causando-lhe queimaduras severas na mão direita, que empunhava o secador. Em 10 de setembro de 2013, Paula propôs ação judicial em face de Dryhair S/A, fabricante do aparelho, postulando a reparação de danos extra patrimoniais. Em sua defesa, a fabricante invocou o transcurso do prazo decadencial de 90 dias para a reclamação de vícios de produtos duráveis.

Se as partes tivessem estabelecido no contrato de aquisição do produto um limite de R$ 30.000,00 para eventuais indenizações, tal cláusula seria válida no direito brasileiro?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49970

Em 10 de abril de 2013, Paula adquiriu em uma loja de eletrodomésticos um secador de cabelos de última geração. Ao tentar utilizá-lo pela primeira vez, o aparelho explodiu, causando-lhe queimaduras severas na mão direita, que empunhava o secador. Em 10 de setembro de 2013, Paula propôs ação judicial em face de Dryhair S/A, fabricante do aparelho, postulando a reparação de danos extra patrimoniais. Em sua defesa, a fabricante invocou o transcurso do prazo decadencial de 90 dias para a reclamação de vícios de produtos duráveis.

A alegação de decadência é procedente?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49969

Em julho de 2011, Rufus, taxista, adquiriu um automóvel seminovo, obrigando-se perante Jonas, vendedor, a pagar o preço em 30 (trinta) prestações mensais de R$ 2.000,00 (dois mil reais). No contrato de compra e venda, constou expressamente que o atraso de mais de 5 (cinco) dias no pagamento de qualquer das parcelas provocaria a resolução automática do contrato, com a perda das parcelas pagas. Em novembro de 2013, Rufus, enfrentando dificuldade financeira, deixou de efetuar o pagamento da parcela devida. Passados 12 (doze) dias do vencimento, Rufus oferece a Jonas dois relógios no valor de R$ 1.000,00 cada um. Jonas recusa a oferta e propõe, em seguida, ação judicial de resolução do contrato, com pedido liminar de busca e apreensão do veículo.

Jonas é obrigado a aceitar os relógios?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49968

Em julho de 2011, Rufus, taxista, adquiriu um automóvel seminovo, obrigando-se perante Jonas, vendedor, a pagar o preço em 30 (trinta) prestações mensais de R$ 2.000,00 (dois mil reais). No contrato de compra e venda, constou expressamente que o atraso de mais de 5 (cinco) dias no pagamento de qualquer das parcelas provocaria a resolução automática do contrato, com a perda das parcelas pagas. Em novembro de 2013, Rufus, enfrentando dificuldade financeira, deixou de efetuar o pagamento da parcela devida. Passados 12 (doze) dias do vencimento, Rufus oferece a Jonas dois relógios no valor de R$ 1.000,00 cada um. Jonas recusa a oferta e propõe, em seguida, ação judicial de resolução do contrato, com pedido liminar de busca e apreensão do veículo.

A ação de resolução do contrato deve ter seu pedido julgado procedente?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49967

Ester, artesã, maior e capaz, entregou a Diogo, empresário, maior e capaz, oitenta esculturas de argila para que fossem vendidas em sua loja. Ficou ajustado no contrato, ainda, que, decorridos dois meses, Diogo pagaria a Ester o valor de vinte reais por escultura vendida, cabendo-lhe restituir à artesã as esculturas que porventura não tivessem sido vendidas no referido prazo. Decorrido um mês, Diogo constatou que estava encontrando grandes dificuldades para vender as esculturas, o que o levou a promover uma liquidação em sua loja, alienando cada escultura por dez reais. A liquidação foi bem-sucedida, ocasionando a venda de setenta e cinco esculturas. Transcorrido o prazo previsto no contrato, Ester procura Diogo, solicitando que ele pague o preço ajustado relativo às esculturas vendidas, bem como que restitua aquelas remanescentes. Diante disso, Diogo decide consultar um advogado.

Diogo pode deduzir do preço inicialmente ajustado o valor por ele pago referente aos custos regulares de conservação das esculturas durante o período em que as colocou à venda?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49966

Ester, artesã, maior e capaz, entregou a Diogo, empresário, maior e capaz, oitenta esculturas de argila para que fossem vendidas em sua loja. Ficou ajustado no contrato, ainda, que, decorridos dois meses, Diogo pagaria a Ester o valor de vinte reais por escultura vendida, cabendo-lhe restituir à artesã as esculturas que porventura não tivessem sido vendidas no referido prazo. Decorrido um mês, Diogo constatou que estava encontrando grandes dificuldades para vender as esculturas, o que o levou a promover uma liquidação em sua loja, alienando cada escultura por dez reais. A liquidação foi bem-sucedida, ocasionando a venda de setenta e cinco esculturas. Transcorrido o prazo previsto no contrato, Ester procura Diogo, solicitando que ele pague o preço ajustado relativo às esculturas vendidas, bem como que restitua aquelas remanescentes. Diante disso, Diogo decide consultar um advogado.

Deverá Diogo pagar a Ester o preço inicialmente ajustado por cada escultura vendida?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49965

Bruno ajuizou ação revisional em face do Banco ZB S/A, asseverando que o contrato de financiamento com garantia em alienação fiduciária celebrado está eivado de cláusulas abusivas, sendo necessária sua revisão. O banco não apresentou contestação. Em sentença, os pedidos formulados por Bruno foram julgados totalmente procedentes. Em sede de recurso de apelação, o banco compareceu em juízo, alegando nulidade processual por ausência de citação válida, vez que não foram observadas as prescrições legais. Considerando o caso apresentado e as regras previstas no Código de Processo Civil sobre teoria das nulidades, responda.

A nulidade da citação está sujeita aos efeitos da preclusão?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49964

João, pai de Eduardo e Mônica, após se divorciar de sua esposa, obrigou-se a pagar, por meio de uma ação de alimentos, o percentual de 15% (quinze por cento) da sua remuneração para cada um de seus filhos, até que atingissem a maioridade ou terminassem curso superior, ou, ao menos, estivessem estudando. Após atingirem a maioridade, Mônica continuou estudando, regularmente matriculada em um curso de medicina. Eduardo, no entanto, abandonou os estudos e resolveu trabalhar, abrindo um comércio lucrativo em seu bairro, que já possibilitava o seu sustento a ponto de estar noivo de Maria Lúcia. Diante de tais fatos, João resolve deixar de pagar os alimentos para seus dois filhos.

João, ao deixar de pagar os alimentos a Eduardo, procedeu de forma correta?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49963

João e José celebraram contrato de locação, por dois anos, de um veículo de propriedade de José, que seria utilizado por João para fazer passeios turísticos com seus clientes. No contrato de locação, foi estipulada cláusula penal de 10% do valor total do contrato para o caso de resolução por quaisquer das partes, em especial, a decorrente do não pagamento de dois alugueis. Diante de tal previsão, caso João tivesse incorrido em mora, dando causa à resolução, responda.

Caso José consiga comprovar que o prejuízo excede ao valor da cláusula penal, poderia cobrar a cláusula penal e a indenização suplementar?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49962

João e José celebraram contrato de locação, por dois anos, de um veículo de propriedade de José, que seria utilizado por João para fazer passeios turísticos com seus clientes. No contrato de locação, foi estipulada cláusula penal de 10% do valor total do contrato para o caso de resolução por quaisquer das partes, em especial, a decorrente do não pagamento de dois alugueis. Diante de tal previsão, caso João tivesse incorrido em mora, dando causa à resolução, responda.

Para a execução da cláusula penal, José tem que comprovar a existência de prejuízo equivalente ao seu montante?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49961

Heitor, residente em Porto Alegre/RS, firmou, em 10/05/2010, com a Sociedade W S/A, sediada na cidade de São Paulo/SP, contrato de seguro de seu veículo automotor. A apólice prevê cobertura para sinistros ocorridos em todo o país. Em 18/12/2010, Heitor, passeando pela cidade de Salvador/BA, teve seu veículo furtado no estacionamento gratuito do Shopping B.

O Shopping B possui o dever de ressarcir Heitor pelo furto de seu veículo?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49960

Heitor, residente em Porto Alegre/RS, firmou, em 10/05/2010, com a Sociedade W S/A, sediada na cidade de São Paulo/SP, contrato de seguro de seu veículo automotor. A apólice prevê cobertura para sinistros ocorridos em todo o país. Em 18/12/2010, Heitor, passeando pela cidade de Salvador/BA, teve seu veículo furtado no estacionamento gratuito do Shopping B.

Caso Heitor acione a Sociedade W S/A, visando a receber o valor do bem segurado, e a seguradora se negue a cobrir os danos sofridos, alegando não haver cobertura securitária para o infortúnio, poderá Heitor demandar a seguradora na Comarca de Porto Alegre/RS?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49878

O município de Balinhas, com o objetivo de melhorar a circulação urbana para a Copa do Mundo a ser realizada no país, elabora novo plano viário para a cidade, prevendo a construção de elevados e vias expressas. Para alcançar este objetivo, em especial a construção do viaduto “Taça do Mundo”, interdita uma rua ao tráfego de veículos, já que ela seria usada como canteiro para as obras.

Diante dessa situação, os moradores de um edifício localizado na rua interditada, que também possuía saída para outro logradouro, ajuízam ação contra a Prefeitura, argumentando que agora gastam mais 10 minutos diariamente para entrar e sair do prédio, e postulando uma indenização pelos transtornos causados. Também ajuíza ação contra o município o proprietário de uma oficina mecânica localizada na rua interditada, sob o fundamento de que a clientela não consegue mais chegar ao seu estabelecimento. O município contesta, afirmando não ser devida indenização por atos lícitos da Administração. 

É cabível indenização ao empresário?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49877

O município de Balinhas, com o objetivo de melhorar a circulação urbana para a Copa do Mundo a ser realizada no país, elabora novo plano viário para a cidade, prevendo a construção de elevados e vias expressas. Para alcançar este objetivo, em especial a construção do viaduto “Taça do Mundo”, interdita uma rua ao tráfego de veículos, já que ela seria usada como canteiro para as obras.

Diante dessa situação, os moradores de um edifício localizado na rua interditada, que também possuía saída para outro logradouro, ajuízam ação contra a Prefeitura, argumentando que agora gastam mais 10 minutos diariamente para entrar e sair do prédio, e postulando uma indenização pelos transtornos causados. Também ajuíza ação contra o município o proprietário de uma oficina mecânica localizada na rua interditada, sob o fundamento de que a clientela não consegue mais chegar ao seu estabelecimento. O município contesta, afirmando não ser devida indenização por atos lícitos da Administração. 

É cabível indenização aos moradores do edifício?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49876

O município de Balinhas, com o objetivo de melhorar a circulação urbana para a Copa do Mundo a ser realizada no país, elabora novo plano viário para a cidade, prevendo a construção de elevados e vias expressas. Para alcançar este objetivo, em especial a construção do viaduto “Taça do Mundo”, interdita uma rua ao tráfego de veículos, já que ela seria usada como canteiro para as obras.

Diante dessa situação, os moradores de um edifício localizado na rua interditada, que também possuía saída para outro logradouro, ajuízam ação contra a Prefeitura, argumentando que agora gastam mais 10 minutos diariamente para entrar e sair do prédio, e postulando uma indenização pelos transtornos causados. Também ajuíza ação contra o município o proprietário de uma oficina mecânica localizada na rua interditada, sob o fundamento de que a clientela não consegue mais chegar ao seu estabelecimento. O município contesta, afirmando não ser devida indenização por atos lícitos da Administração. 

Atos lícitos da Administração podem gerar o dever de indenizar?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49875

Após várias denúncias de que o servidor “X”, lotado em um órgão da Administração Federal direta, vinha faltando ao serviço e fraudando a sua folha de frequência, “A”, chefe do seu departamento, determina a instauração de processo administrativo disciplinar.

A Comissão nomeada, ao final dos trabalhos de apuração, concluiu que o servidor, de fato, vinha se ausentando de forma injustificada do serviço uma vez por semana. Contudo, ignorou documento que comprovava que o referido servidor, ao menos em duas ocasiões, fraudou a sua folha de frequência, razão pela qual opinou pela aplicação da penalidade de suspensão por 5 (cinco) dias. 

Pode a autoridade competente para aplicação da pena determinar que o referido servidor seja demitido?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49874

Após várias denúncias de que o servidor “X”, lotado em um órgão da Administração Federal direta, vinha faltando ao serviço e fraudando a sua folha de frequência, “A”, chefe do seu departamento, determina a instauração de processo administrativo disciplinar.

A Comissão nomeada, ao final dos trabalhos de apuração, concluiu que o servidor, de fato, vinha se ausentando de forma injustificada do serviço uma vez por semana. Contudo, ignorou documento que comprovava que o referido servidor, ao menos em duas ocasiões, fraudou a sua folha de frequência, razão pela qual opinou pela aplicação da penalidade de suspensão por 5 (cinco) dias. 

Pode ser instaurado processo administrativo disciplinar sem a prévia abertura de sindicância?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49873

No curso de obra pública de ampliação da malha rodoviária, adequadamente licitada pela Administração Pública, verifica-se situação superveniente e excepcional, na qual se constata a necessidade de realização de desvio de percurso, que representa aumento quantitativo da obra.

Em havendo concordância entre o particular, vencedor da licitação, e a Administração Pública, há limite para o aumento quantitativo do objeto do contrato?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49872

No curso de obra pública de ampliação da malha rodoviária, adequadamente licitada pela Administração Pública, verifica-se situação superveniente e excepcional, na qual se constata a necessidade de realização de desvio de percurso, que representa aumento quantitativo da obra.

É possível que a Administração Pública exija o cumprimento do contrato pelo particular com a elaboração de termo aditivo, mesmo contra a sua vontade?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49871

João prestou com sucesso concurso público para uma empresa pública federal e para uma autarquia estadual. Em ambos os casos, entretanto, o concurso público destinava-se à formação de cadastro de reserva, até porque, tanto na autarquia quanto na empresa pública, os quadros de pessoal estão completos. 

O cargo e o emprego pretendidos por João estão alcançados pelo teto remuneratório constitucional?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas
49870

João prestou com sucesso concurso público para uma empresa pública federal e para uma autarquia estadual. Em ambos os casos, entretanto, o concurso público destinava-se à formação de cadastro de reserva, até porque, tanto na autarquia quanto na empresa pública, os quadros de pessoal estão completos. 

Para a criação de novas vagas naqueles entes (empresa pública e autarquia), é necessária a edição de lei ou é admitida a criação por outras formas, indistintamente?

 

*** Depois que marcar sua resposta e corrigir, comente a questão para justificar sua opção e compartilhar sua argumentação com outros estudantes. Em alguns minutos o seu comentário e o de outros estudantes sobre essa questão estarão disponíveis clicando no ícone de cor verde no menu superior de sua página.

2014 Fund Getúlio Vargas