BANCO DE QUESTÕES

Por Matéria


UFPB - Médico


Exercício Trecho enunciado da questão Ano Entidade promotora Visualizar
39187

Sobre o paciente reumatológico em terapia intensiva, julgue a assertiva abaixo:


Só os pacientes com cardite reumática devem ser submetidos a profilaxia com amoxacilina quando submetidos a procedimentos cirúrgicos.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39186

Sobre o paciente reumatológico em terapia intensiva, julgue a assertiva abaixo:


A insuficiência cardíaca é rara nos surtos iniciais de cardite reumática.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39185

Sobre o paciente reumatológico em terapia intensiva, julgue a assertiva abaixo:


A insuficiência cardíaca congestiva (ICC) é frequente em pacientes com LESJ e não raro abrem o quadro da doença.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39184

Sobre o paciente reumatológico em terapia intensiva, julgue a assertiva abaixo:


Devido à dislipemia, hipertensão e vasculite dos vasos coronarianos, os pacientes com LESJ apresentam maior risco de doença coronariana.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39183

Sobre o paciente reumatológico em terapia intensiva, julgue a assertiva abaixo:


A pericardite é raramente encontrada no paciente com lúpus eritematoso sistêmico juvenil (LESJ) forma aguda.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39182

Sobre o Estado de Mal Epiléptico (EME), julgue a assertiva abaixo:


Rabdomiólise, acidose metabólica e insuficiência cardíaca estão entre os efeitos colaterias do tiopental em infusão contínua.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39181

Sobre o Estado de Mal Epiléptico (EME), julgue a assertiva abaixo:


O midazolan em infusão contínua é a droga de eleição para o EME.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39180

Sobre o Estado de Mal Epiléptico (EME), julgue a assertiva abaixo:


Dentre as complicações mais frequentes do tratamento do EME estão a hipoxemia, parada cardiorrespiratória, depressão do sensório e alterações metabólicas.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39179

Sobre o Estado de Mal Epiléptico (EME), julgue a assertiva abaixo:


A causa mais comum de EME em pacientes epilépticos é a diminuição dos níveis plasmáticos dos anticonvulsivantes.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39178

Sobre o Estado de Mal Epiléptico (EME), julgue a assertiva abaixo:


O EME é definido como convulsão que persiste por 60 (sessenta) minutos ou mais ou que se repete com frequência de forma a produzir uma condição epiléptica fixa e duradoura.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39177

No que se refere ao choque em pediatria, julgue a assertiva abaixo:


Um aumento da resistência vascular leva a um aumento da pós-carga, com queda do volume sistólico e consequente aumento do trabalho cardíaco.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39176

No que se refere ao choque em pediatria, julgue a assertiva abaixo:


A correção da pré-carga é realizada na segunda etapa do tratamento do choque, especialmente em se tratando de choque hipovolêmico hemorrágico.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39175

No que se refere ao choque em pediatria, julgue a assertiva abaixo:


Sabe-se que o débito cardíaco está diretamente relacionado ao volume sistólico e à frequência cardíaca, estando esta imune a variações volêmicas, neuroumorais colinérgicas e a hipóxia.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39174

No que se refere ao choque em pediatria, julgue a assertiva abaixo:


A ventilação mecânica pode determinar modificações hemodinâmicas, como a alteração contrátil do miocárdio.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39173

No que se refere ao choque em pediatria, julgue a assertiva abaixo:


A oferta de oxigênio aos tecidos depende tanto do volume total de oxigênio disponível quanto do débito cardíaco.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39172

Quanto à sedação e à analgesia de pacientes em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica, julgue a assertiva abaixo:


O fentanil pode causar depressão respiratória dose dependente, mas é raro o surgimento de abstinência mesmo com uso prolongado da droga.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39171

Quanto à sedação e à analgesia de pacientes em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica, julgue a assertiva abaixo:


Com o uso de opioides pode-se ter a ocorrência de vômitos e prurido como efeitos colaterais que são controlados com a utilização de antieméticos e prometazina.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39170

Quanto à sedação e à analgesia de pacientes em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica, julgue a assertiva abaixo:


Opioides ligam-se aos mesmos receptores das endorfinas e encefalinas através de uma ligação reversível.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39169

Quanto à sedação e à analgesia de pacientes em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica, julgue a assertiva abaixo:


Uma analgesia e uma sedação inadequadas podem ser resultado de uma escolha inadequada da droga, dose insuficiente ou à ocorrência de efeitos colaterais que causem desconforto ao paciente.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39168

Quanto à sedação e à analgesia de pacientes em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica, julgue a assertiva abaixo:


A utilização de escalas de sedação e analgesia é de uso meramente experimental.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39167

Quanto ao Traumatismo Cranioencefálico, julgue a assertiva abaixo:


O achado de traumatismo cranioencefálico é comum em criança vítima de abuso no primeiro ano de vida.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39166

Quanto ao Traumatismo Cranioencefálico, julgue a assertiva abaixo:


O tratamento do inchaço cerebral ou brain swelling é sempre clínico.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39165

Quanto ao Traumatismo Cranioencefálico, julgue a assertiva abaixo:


O edema cerebral pode causar desvio da linha média.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39164

Quanto ao Traumatismo Cranioencefálico, julgue a assertiva abaixo:


A tomografia cerebral é sempre normal na lesão axional difusa.

2012 Universidade Federal da Paraíba
39163

Quanto ao Traumatismo Cranioencefálico, julgue a assertiva abaixo:


O hematoma subdural agudo com desvio contralateral das estruturas de linha média exige tratamento cirúrgico.

2012 Universidade Federal da Paraíba