BANCO DE QUESTÕES

Por Matéria


Artes Visuais


Exercício Trecho enunciado da questão Ano Entidade promotora Visualizar
45622

O Art Nouveau foi um movimento que se desenvolveu no final do século XIX, na Europa, onde reinava um clima de inovação nas artes, na arquitetura, no design de mobiliário e produto, nas artes gráficas e na moda. Ele floresceu de 1890 até a Primeira Guerra Mundial e nos diversos países onde ocorreu, ganhou nomes e estilos diferentes. Na França, foi chamado Art Nouveau; na Alemanha, Jugendstil; na Áustria, Secession; na Itália, Liberty e, na Inglaterra, Modern Style.

 

Sabendo que os dois cartazes ilustrados acima se relacionam ao movimento Art Nouveau, avalie as afirmações que se seguem.

I. O Art Nouveau se internacionalizou por se opor à esterilidade da era industrial, que se espelhava na aparência pouco estética dos produtos fabricados por máquinas.

II. A bidimensionalidade, o ritmo linear e as cores planas das xilogravuras japonesas tiveram influência significativa sobre as produções gráficas do movimento Art Nouveau.

III. O Art Nouveau dos franceses e belgas caracterizou-se pela ênfase nas formas orgânicas nas primeiras manifestações anteriores a 1900 e por um conteúdo linear de formas puras, depois de 1900.

IV. O Art Nouveau austríaco, conhecido como Secession, está mais ligado à austeridade linear da Escola de Glasgow, que explora a geometria, superfícies simplificadas e ornamentação mais restrita.

É correto apenas o que se afirma em

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45621

O Minimalismo é um movimento artístico que surgiu nos Estados Unidos da América na década de 1960 e foi denominado de arte “ABC” ou Minimal Art. Influenciado pelas correntes abstracionistas das vanguardas artísticas do início do século XX — tais como o suprematismo e o neoplasticismo, entre outros — o Minimalismo se expandiu pela arte e pela arquitetura. Para Giulio Carlo Argan (1909-1992) — historiador e teórico da arte — o objetivo da Minimal Art seria realizar uma síntese de volume e cor, criando formas elementares a partir de estruturas geométricas primárias, capazes de se impor na paisagem das megalópoles industriais, ao mesmo tempo apinhada e desolada.

Considerando as relações estabelecidas com outras manifestações artísticas, conclui-se que o Minimalismo

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45620

As inovações tecnológicas invadem cada vez mais o nosso cotidiano, instigando o imaginário do artista, que em um diálogo com os novos meios, revela novas poéticas. Dispositivos tecnológicos e recursos do avanço científico, de áreas como a informática, a medicina e a robótica, revelam ao homem percepções extracorporais. O artista tem papel fundamental de aproximar o homem das tecnologias de uma maneira sensível.

Assim como o artista, o professor de artes visuais também é responsável em propiciar contato de seus alunos com as novas tecnologias, escolhendo conteúdos que tenham significação humana e social, visando à inserção do aluno no contexto social. ALMEIDA, C. Z. As relações arte/tecnologia no ensino da arte.

In: PILLAR, A. D. (Org.) A educação do olhar no ensino das artes. Porto Alegre: Mediação, 2009, p. 75.

Em relação ao avanço tecnológico citado acima e às possibilidades que a arte pode propiciar ao espectador, por meio de uma visão que aborde os estudos culturais, analise as afirmações que se seguem.

I. As imagens criadas a partir das novas tecnologias substituem linguagens como a pintura, a escultura e a gravura, por apresentarem maior expressividade.

II. Com a utilização dos avanços tecnológicos, o artista tem a possibilidade de chamar o espectador a participar e interagir com a sua obra.

III. O ensino da arte deve levar em conta as novas tecnologias, a fim de possibilitar um diálogo dos indivíduos com o seu tempo.

IV. As novas tecnologias, como a fotografia, o cinema e o vídeo, propiciam ao artista imaginar e criar com o uso de equipamentos eletrônicos.

É correto o que se afirma em

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45619

Arte para todos é um programa que visa garantir a possibilidade de fruição da arte para pessoas com deficiências – sensoriais, físicas ou intelectuais – por meio de estímulos multissensoriais e lúdicos. A Pinacoteca, como museu dedicado às artes visuais, pode e deve ter obras de seu acervo acessíveis a outros sentidos, tanto pela elaboração de percursos sensoriais que permitam o contato direto com as obras originais, como pela produção de recursos de apoio multissensoriais baseados nas obras de arte originais. O projeto prevê a realização de visitas acompanhadas por educadores especializados com base na seleção de obras do acervo, incluindo esculturas, objetos e pinturas, acessíveis por meio de toque orientado ou recursos multissensoriais e lúdicos, estabelecendo-se percursos diferenciados para cada grupo.

Considerando as informações apresentadas, avalie as asserções que se seguem. O acesso à arte por meio de adaptações e projetos que valorizam e atendam as necessidades da diversidade vem ganhando espaço.

PORQUE

A inclusão social é tema de discussões em todos os ambientes de educação formal e não formal.

A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.

 

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45618

A imagem acima mostra a violoncelista Charlotte Moorman na apresentação do concerto do videoartista Nam June Paik, na Galeria Bonino, em Nova York. Na obra conhecida como TV Cello, a dupla de artistas empilhou aparelhos televisivos no formato de um violoncelo e, quando Moorman tocava seu arco sobre as cordas do violoncelo, surgiam, nas telas, imagens dela e de outros violoncelistas tocando. Considerando que a videoarte, as instalações com imagens sintéticas, os happennings e as performances em corpos tecnologizados, entre outras criações de poéticas tecnológicas, realizam-se na tessitura de diferentes linguagens, analise as afirmações abaixo.

I. As fronteiras entre arte, novas tecnologias e mídia estão cada vez mais difusas.

II. A visualidade contemporânea é resultante das tecnologias digitais.

III. Nam June Paik se apropriou de tecnologias mecânicas, audiovisuais, eletrônicas e digitais em uma perspectiva inovadora, transformando-as em prol de suas ideias estéticas.

IV. Os artistas valorizaram a criação coletiva e integraram linguagens, como música, cinema e dança.

É correto apenas o que se afirma em

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45617

No século XVI, chegaram à Europa alguns objetos de arte africana, mas despertaram curiosidade apenas por seu lado exótico.

A expansão do domínio colonial europeu na África, que se deu de forma mais intensa no final do século passado, contribuiu para o aumento do contato da Europa com a arte daquele continente e motivou diversas pesquisas antropológicas sobre os povos e as culturas africanas. Como resultado, a arte africana foi classificada em um conjunto variado de estilos, que, por aproximação com a arte europeia, foram chamados de naturalista, expressionista e abstrato. Mas essas denominações não são muito corretas, pois a arte africana nunca se organizou em tendências ou movimentos estéticos, conforme temos visto na evolução da arte ocidental. Atualmente, considera-se de grande importância a escultura africana, como as terracotas, os trabalhos em bronze e madeira da Nigéria, da Costa do Marfim ou do Zaire.

PROENÇA, G. História da Arte. São Paulo: Ática, 2003, p. 157.

A cultura e a arte africana influenciaram a obra de vários artistas, entre eles Pablo Picasso, Fernand Léger e Braque, que

I. admitiram aproximação entre a arte africana e as suas pinturas.

II. apontaram a influência da arte africana como responsável pela origem do cubismo.

III. reconheceram, na arte africana, expressividade intensa, clareza de estrutura e simplicidade linear na técnica.

IV. compreenderam que o artista africano pinta ou esculpe com liberdade, e não de acordo com as tendências de um movimento estético.

É correto o que se afirma em 

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45616

Em uma escola da zona urbana, o professor de artes do 6.º ano do ensino fundamental combinou com os alunos de fazerem uma exposição de fotografias tiradas com o telefone celular. Os alunos teriam que fotografar as paisagens que viam no caminho para a escola e, juntamente com a professora de Língua Portuguesa, elaborarem um pequeno texto sobre as fotografias, relatando o que viram e como poderiam contribuir para melhorar o que, segundo avaliação deles, não estava bom. Na exposição, cada fotografia viria acompanhada do texto produzido e de um desenho com a sugestão de melhora nos aspectos que os alunos consideravam ruins.

Tomando por base a pedagogia crítica e os estudos culturais, é correto afirmar que o trabalho descrito acima

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45615

O projeto “Juiz de Fora – Minha Cidade – Nossa História” foi desenvolvido na Escola Municipal Cecília Meireles, de ensino regular, situada na região Noroeste de Juiz de Fora - MG e contemplou três turmas do 9º ano do ensino fundamental. Todo o processo do projeto foi realizado durante as aulas de artes, nos meses de outubro, novembro e dezembro de 2009.

O projeto foi elaborado a partir de uma constatação feita durante uma exibição cinematográfica, realizada na escola, que continha imagens antigas da cidade de Juiz de Fora, feitas pelo cineasta juiz- forano João Carriço, há mais de 50 anos. Durante a exibição dos filmes feitos por Carriço, muitos alunos desconheciam ou não reconheciam algumas edificações que ainda estão presentes, hoje, na cidade. Maior conhecimento da história da própria cidade, bem como de sua preservação, e o reconhecimento da importância de cada pessoa como parte integrante na formação da cultura de uma determinada sociedade foram os objetivos de toda a realização do projeto.

MELO, E. L. L. Juiz de Fora: minha cidade, nossa história. Disponível em:(www.artenaescola.org.br/sala_relato.pnp?id_relato=143) .

A qual item relativo ao ensino de Arte e presente na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional atende o projeto descrito?

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45614

Nas últimas décadas, crescem os questionamentos acerca da cultura, principalmente com temas que destacam as inúmeras dimensões da visualidade, sua relevância na constituição de identidades e subjetividades e, sobretudo, os novos modos de perceber e pensar as imagens e as visualidades contemporâneas.

Suponha que a professora Rosa, com o objetivo de aproximar essa reflexão dos processos de criação de poéticas, a partir de diferentes suportes e meios, apresentou aos estudantes a obra da artista Jac Leiner. A artista fez uma instalação com sacos plásticos de inúmeras procedências, reunindo sacolas de museus e livrarias de arte, criando um patchwork, que ocupava toda uma parede.

Após a apresentação da imagem, seria correto a professora informar aos seus estudantes que a visualidade contemporânea compreende

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45613

    A visualidade contemporânea engloba arte, mídia e imagens do cotidiano. Por conseguinte, abordagens atuais do ensino em artes visuais têm enfocado o diálogo entre as criações tanto da arte como do cotidiano, bem como a interpretação crítica da arte e da imagem como artefatos culturais. Nesse sentido, a proposta da cultura visual é questionar e construir um conhecimento que coloque em perspectiva a relevância que as representações visuais e as práticas culturais têm dado ao ‘olhar’ em termos das construções de sentido e das subjetividades no mundo contemporâneo.

HERNÁNDEZ, F. Catadores da Cultura Visual: proposta para uma nova narrativa educacional. Porto Alegre: Mediação, 2007, p.27. (com adaptações).

As abordagens mencionadas no texto buscam

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45612

Na cidade de São Paulo, existem aproximadamente 440 obras distribuídas em diferentes locais. É um verdadeiro museu a céu aberto! Repensar as dimensões estéticas da cidade – pensá-la como espaço para as diferentes linguagens e manifestações – tem sido uma prática constante daqueles que desejam transpor o espaço urbano dos muros das galerias e museus, transformando o espaço urbano em um verdadeiro campo de experimentação desordenado, com pessoas circulando por baixo e por cima de pontes e viadutos, por passagens subterrâneas lotadas de pessoas apressadas, que mal se relacionam com o espaço em que vivem em função do estilo de vida e da profusão de estímulos visuais.

SAN`TANNA, R. Saber e ensinar arte contemporânea. São Paulo: Panda Books, 2009, (com adaptações)

Suponha que o professor Pedro apresentou aos seus alunos a importância dos museus para a nossa cultura e a existência de museus a céu aberto, espalhados por diferentes cidades brasileiras. Em seu projeto pedagógico de arte, organizou com os alunos um passeio pela cidade. Uma proposta desse tipo objetiva oportunizar aos alunos a percepção, visualização e compreensão 

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45611

Dois professores de artes visuais da rede estadual das escolas públicas de Belo Horizonte - MG. Planejaram juntos, neste ano o desenvolvimento pedagógico anual, incluindo um Projeto de Trabalho com referencial nos textos de Fernando Hernández. Na segunda semana de aula, foi previsto um passeio educativo pela cidade, tendo como ponto de ancoragem a Igreja da Pampulha. Nas duas semanas seguintes, os professores negociaram em suas turmas o tema de trabalho a ser desenvolvido. Foram escolhidos os princípios do modernismo brasileiro e o diálogo com a tradição, expandindo a investigação que já havia sido iniciada no passeio realizado. Entretanto, acabaram se depararando com o seguinte problema: metade de suas turmas manifestou a vontade de conhecer e enfocar os novos espaços da arte contemporânea, pois já haviam ouvido falar do Centro de Arte Contemporânea de Inhotim e tinham uma grande curiosidade em verificar a relação desse centro com a arte brasileira.

Como os professores não poderiam desenvolver os dois temas com suas turmas, resolveram dividir o trabalho, tentando fazer uma interlocução entre as duas temáticas: o modernismo e a arte contemporânea. Ao iniciarem o processo de pesquisa, ambos os grupos se depararam com o barroco e a azulejaria como conteúdo fundante, que perpassava os dois temas enfocados. Nessa perspectiva, foram levantadas duas linhas de trabalho, a partir de um ponto focal: a relação da obra de Adriana Varejão com a arquitetura expositiva no Centro de Arte Contemporânea de Inhotim e a relação da arquitetura de Oscar Niemayer com a obra de Cândido Portinari na Igreja da Pampulha.

Para a realização dos trabalhos, os professores fizeram um mapeamento dos dois locais estudados. Na primeira aula conjunta programada, ao ser apresentada a sequência de imagens abaixo, viu-se que as duas linhas de trabalho poderiam ser desenvolvidas em uma única direção, enfocando a interlocução entre elas.

Considerando as imagens acima, assinale a opção que corresponde à escolha dos professores para fazer a interlocução entre as obras.

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45610

Em nossa sociedade errante, constantemente transformada pela mobilidade e ubiquidade de seu presente, patrimônio histórico tornou-se uma das palavras-chave. Ela remete a uma instituição e a uma mentalidade. Constituindo-se de bens materiais, imateriais e naturais de importância artística, cultural, religiosa, documental ou estética para a sociedade, entendemos que a noção de patrimônio é construída ao longo da história como, também, o sentido de pertencimento dos indivíduos a um ou mais grupos sociais, assegurando-lhes uma identidade cultural e uma continuidade de saberes, fundamentais como suporte para a formação do sujeito como cidadão. O culto que se rende hoje ao patrimônio histórico deve merecer de nós mais do que simples aprovação. Ele requer um questionamento porque se constitui elemento revelador, negligenciado, mas, brilhante, de uma condição da sociedade e das questões que ela encerra.

CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. Trad. Luciano Vieira Machado. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

Considerando a atualidade do tema apresentado no texto acima e a necessidade da conscientização do sujeito ainda no contexto escolar, é preciso 

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45609

A foto seguinte apresenta um Objeto Cinético, de Abraham Palatinik.

Em 1964, nascem os Objetos Cinéticos. O artista cria esculturas de arame, formas coloridas e fios que se movem acionadas por motores e eletroímãs. As peças se assemelham aos móbiles do escultor norte-americano Alexander Calder. Ele é consagrado pioneiro, o primeiro que explorou as conquistas tecnológicas na criação de vanguarda brasileira. O que Mário Pedrosa descreve, em 1953, continua valendo para a carreira do artista-inventor, que segue sua trajetória “tornando as máquinas aptas a gerarem obras de arte”.

Tendo por base o texto e a imagem acima, analise as afirmações que se seguem.

I. O trabalho de Palatinik mostra que artistas visuais passaram a usar novos suportes e técnicas.

II. Para fazer o trabalho ilustrado acima, Palatinik não necessita de conhecimento sobre linguagem visual.

III. Os elementos da linguagem visual utilizados na obra são luz, cor e inspiração.

IV. A obra ilustrada indica um novo tipo de artista, aquele que necessita de conhecimento tecnológico.

É correto apenas o que se afirma em

 

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45608

No ensino das artes visuais, torna-se necessário desenvolver experiências concretas fundamentadas na perspectiva multicultural, para se construir a compreensão e a imersão em outros códigos culturais. No sentido da identidade cultural, a educação em artes visuais enfatiza o conhecimento

I. de artistas contemporâneos que abordam como temática em seus trabalhos a relação entre arte, ecologia e ética, como outros produtores culturais.

II. da arte produzida pelos diferentes grupos sociais, em nível local, regional, nacional e internacional, destacando-se a produzida por grupos culturais.

III. do contexto econômico que permite ou não o acesso ao bem cultural propiciado pelos diversos produtores.

IV. das inter-relações e mediações do contexto global, dentro de experiências pedagógicas.

É correto apenas o que se afirma em

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45607

O conhecimento sensível parte da percepção corporal e é imprescindível no processo educativo. Algumas visualidades têm o corpo como eixo central e produzem um discurso visual próprio; há casos em que ele mesmo é o suporte, como na arte da francesa Orlan e do australiano Stelarc. Isso ocorre também entre os jovens que fazem intervenções corporais como tatuagens ou piercings, entre outras ações que traduzem códigos sociais de identidades e comportamentos. A sensibilidade humana concebe o mundo moderno como um grande corpo, composto por vias tecnológicas de comunicação e que pode ser alterado constantemente pela interação de sujeitos. Os saberes sensíveis atuam nesse meio ampliando a inteligência corporal: as dimensões física e biológica do corpo contemporâneo se potencializam e invadem áreas da intimidade através de redes colaborativas e outras tecnologias ligadas à informação e comunicação. Considerando o texto acima, é correto afirmar que

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45606

Em uma aula de artes visuais, um professor apresenta a imagem abaixo para sua turma.

Acerca dessa imagem, avalie as afirmações a seguir.

I. Trata-se de uma imagem da arte moderna brasileira.

II. A obra refere-se a uma nova linguagem das artes visuais: a fotografia.

III. Com essa imagem, é possível estabelecer um debate sobre os suportes e técnicas de criação visual.

IV. Com essa imagem, é possível estabelecer um debate com os alunos sobre representação e apresentação visual.

É correto o que se afirma em

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45605

As obras abaixo são de autoria de artistas afrobrasileiros.

Considerando as figuras apresentadas, analise as seguintes afirmações a respeito da arte afrobrasileira.

I. É uma arte religiosa ligada ao universo cultural afrobrasileiro, restrita aos espaços sagrados.

II. É uma arte produzida por artistas brasileiros que se identificam com a temática afrobrasileira.

III. É uma arte impregnada pelo universo popular brasileiro, o que dificultou sua difusão na História da Arte.

IV. É uma arte que reflete a sensibilidade e o discurso identitário negro por intermédio de formas universais do diálogo artístico.

É correto apenas o que se afirma em

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45604

O professor de artes visuais tem, nas diversas técnicas da gravura, uma variedade de possibilidades de ensino.

Considerando as técnicas de xilogravura, litografia e gravura em metal, bem como as imagens apresentadas, avalie as afirmações que se seguem.

I. A xilogravura é o mais antigo veículo gerador de imagens e que deu origem a todo processo multiplicador existente no campo da impressão. Ela pode ser trabalhada em sala de aula em dois sistemas de corte: gravura de fio e gravura de topo. No primeiro caso, empregam-se goivas e facas, e, no segundo caso, o buril.

II. A litografia, ou desenho em pedra, é uma técnica de impressão na qual se utiliza uma pedra calcária de grão muito fino e baseia-se na repulsão entre a água e as substâncias gordurosas. O desenho é feito com lápis litografico e essa técnica foi a precursora da impressão off-set.

III. A gravura em metal só permite bons trabalhos se executados em chapa de aço inox, a qual é a mais propícia para os banhos de ácido usados nas técnicas de água-forte e água-tinta, como a obra de Fayga Ostrower reproduzida acima.

IV. A xilogravura é uma técnica específica para impressão monocromática, e as obras são impressas em tinta preta. Essa técnica não permite a elaboração de trabalhos que usem várias cores, como a gravura em metal.

V. As técnicas xilogravura, litografia e gravura em metal apresentam os mesmos procedimentos de elaboração da imagem. As imagens devem ser elaboradas fora do suporte e decalcadas sobre o suporte da técnica escolhida. Na sequência, inicia-se o processo de incisão para gravar a imagem na madeira, na pedra ou no metal.

É correto apenas o que se afirma em

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45603

O poema transgênico Cypher, do artista brasileiro Eduardo Kac, explora as relações entre arte, ciência e tecnologia. Nessa obra, o artista apresenta um kit contendo um laboratório portátil no qual o usuário pode integrar DNA sintético em uma bactéria seguindo um protocolo incluído no kit. O DNA preparado por Kac contém uma sequência genética criada a partir de um poema escrito especificamente para Cypher. Quando o usuário integra a sequência do poema genético, a bactéria, normalmente pálida, se torna vermelha e luminosa. Considerando obras de arte contemporânea como Cypher, de Eduardo Kac, avalie as afirmações que se seguem.

I. Artistas contemporâneos como Kac abandonam as técnicas tradicionais em favor de trabalhos de caráter científico, tornando-se incompreensíveis desde o ponto de vista estético, pois não apresentam possibilidades de análise formal, o que inviabiliza o seu estudo no ensino básico.

II. A bioarte é um aspecto importante na educação em artes visuais no ensino médio porque aborda a complexidade do conhecimento, favorecendo o desenvolvimento de competências e habilidades adequadas ao contexto contemporâneo.

III. O diálogo que as obras de arte contemporâneas estabelecem com outras áreas de conhecimento proporciona possibilidades de reforço dos conhecimentos científicos no ensino básico, o que justifica a importância da educação em artes visuais.

IV. As manifestações artísticas contemporâneas de caráter transdisciplinar favorecem a diversidade de visões na observação de fenômenos e problemas porque abordam conceitos chaves que vão além do compartilhamento disciplinar.

É correto apenas o que se afirma em

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45602

Na escola A, alguns alunos são oriundos de diferentes regiões do Brasil e de outros países. Em uma atividade com a turma, o professor de artes visuais apresentou imagens com a intenção de estabelecer uma discussão sobre a técnica, mas a conversa foi evidenciando as diferenças culturais dos alunos, trazendo vários pontos de vista. Considerando a perspectiva da Pedagogia Crítica em relação à situação apresentada, analise as atitudes que o professor poderia tomar para aproveitar o debate que se estabeleceu na classe.

I. Conduzir a discussão, problematizando e destacando as diferenças culturais em sua complexidade e particularidades.

II. Destacar que a imagem visual é um caso especial dentro daquele que está sendo apresentado e que a discussão deve ser encerrada para não atrasar a aula.

III. Aproveitar as observações dos alunos, ressaltando a variedade de teorias que devem ser mobilizadas para a compreensão da imagem visual como produto das diferentes culturas.

IV. Orientar a conversa para a conscientização de que as tecnologias da informação e da comunicação dominam atualmente a produção de imagem e que as técnicas e procedimentos tradicionais devem ser abandonados.

É correto apenas o que se afirma em

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45601

A professora Cláudia apresentou aos seus estudantes da 3ª. série do ensino médio um vídeo sobre a pintura corporal dos Asurini, da terra indígena Trocará, no município de Tucuruí (PA), conhecidos pela particular beleza dos desenhos geométricos que reproduzem no corpo, na cerâmica e no tecido. O vídeo mostra o processo desde a preparação das tintas até a sua aplicação. A professora escolheu esse vídeo como parte de um projeto pedagógico sobre o corpo como suporte artístico contemporâneo.

A qual objetivo da arte/educação para o ensino médio, presente nos Parâmetros Curriculares Nacionais, atende essa proposta da professora?

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45600

Correlacionando a tirinha de Mafalda e o texto de Vasconcellos, avalie as afirmações a seguir.

I. O processo de conhecimento deve ser refletido e encaminhado a partir da perspectiva de uma prática social.

II. Saber qual conhecimento deve ser ensinado nas escolas continua sendo uma questão nuclear para o processo pedagógico.

III. O processo de conhecimento deve possibilitar compreender, usufruir e transformar a realidade.

IV. A escola deve ensinar os conteúdos previstos na matriz curricular, mesmo que sejam desprovidos de significado e sentido para professores e alunos.

É correto apenas o que se afirma em

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45599

Na escola em que João é professor, existe um laboratório de informática, que é utilizado para os estudantes trabalharem conteúdos em diferentes disciplinas. Considere que João quer utilizar o laboratório para favorecer o processo ensinoaprendizagem, fazendo uso da abordagem da Pedagogia de Projetos. Nesse caso, seu planejamento deve 

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
45598

Com base na projeção da população brasileira para o período 2010-2040 apresentada nos gráficos, avalie as seguintes asserções.

Constata-se a necessidade de construção, em larga escala, em nível nacional, de escolas especializadas na Educação de Jovens e Adultos, ao longo dos próximos 30 anos.

PORQUE

Haverá, nos próximos 30 anos, aumento populacional na faixa etária de 20 a 60 anos e decréscimo da população com idade entre 0 e 20 anos.

A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.

2011 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira