BANCO DE QUESTÕES

Por Matéria


Educação Física


Exercício Trecho enunciado da questão Ano Entidade promotora Visualizar
46094

Nos últimos Jogos Paraolímpicos, o Brasil se destacou na obtenção de um grande número de medalhas. No entanto, é sabido que, no Brasil, para as pessoas portadoras de deficiência física, o acesso aos bens culturais, como a prática esportiva, ainda deixa a desejar. Faltam espaços adequados, profissionais interessados, recursos materiais, etc. Apesar disso, nos últimos anos, na área de formação profissional em Educação Física tem aumentado o interesse pelo assunto, e a produção acadêmica é significativa. Neste termos, responda às questões a seguir, sobre o trabalho com pessoas portadoras de deficiência física, considerando a especificidade do profissional de Educação Física.

Do ponto de vista morfofuncional, é objetivo específico da Educação Física para pessoas portadoras de paraplegia traumática:

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46093

Nos últimos Jogos Paraolímpicos, o Brasil se destacou na obtenção de um grande número de medalhas. No entanto, é sabido que, no Brasil, para as pessoas portadoras de deficiência física, o acesso aos bens culturais, como a prática esportiva, ainda deixa a desejar. Faltam espaços adequados, profissionais interessados, recursos materiais, etc. Apesar disso, nos últimos anos, na área de formação profissional em Educação Física tem aumentado o interesse pelo assunto, e a produção acadêmica é significativa. Neste termos, responda às questões a seguir, sobre o trabalho com pessoas portadoras de deficiência física, considerando a especificidade do profissional de Educa- ção Física.

No caso das pessoas portadoras de deficiência visual, que se utilizam de artifícios como bolas com guizos, perfumes, bengalas, sinais sonoros e guias, o uso desses artifícios no processo de ensino e treinamento esportivo visa ao desenvolvimento das seguintes habilidades:

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46092

Indivíduo sedentário, 42 anos, com 24% de gordura corporal, índice de massa corporal (IMC) de 28, pressão arterial em repouso com valores de 144/90 mmHg, resposta hipertensiva ao esforço, VO2 máx de 34 ml/kg/min, manifestação de angina pectoris e não fumante. Para atender a esse aluno, o profissional de Educação Física deve

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46091

Um dos problemas do treinamento físico,seja com atletas ou não-atletas, é a composição dos treinos combinando diferentes componentes da aptidão física. Assim, freqüentemente, muitos sujeitos vêm desempenhando exercícios de força e endurance simultaneamente, embora estes esforços exijam adaptações específicas. As explicações para as “hipóteses crônicas” e as “hipóteses agudas” do treinamento concorrente entre força e endurance são, respectivamente,

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46090

Embora o exercício aeróbio seja importante para a preven- ção de doenças cardiovasculares, o treinamento de força também pode contribuir para esta prevenção

PORQUE

existem estudos que mostram que o exercício de força pode ajudar na redução dos níveis de pressão arterial em repouso, bem como na redução da gordura corporal.

A esse respeito, pode-se concluir que

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46089

Quando o praticante de exercício físico apresenta eleva- ção da freqüência cardíaca de repouso, perda brusca de peso, falta de apetite e queixas de fadiga devem-se reduzir as cargas de treinamento

PORQUE

este é um quadro típico de supercompensação e a redução das cargas de treinamento provocaria maior catabolismo no indivíduo.

A esse respeito, pode-se concluir que

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46088

O Sr. João tem 67 anos e é sedentário, aposentado e obeso. Por recomendação médica decidiu iniciar um programa de exercícios físicos. Assim, o profissional de Educação Física que ele procurar deve indicar a realização de exercício(s)

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46087

Paulo é formado em Educação Física e tem uma academia só com salas de ginástica localizada, onde ministra aulas. Maria, sua aluna, freqüentemente queixa-se de dores nos joelhos. Após avaliação clínica, nada é detectado, apenas a necessidade de fortalecimento do músculo vasto medial. Considerando que a ética profissional e o conhecimento técnico-biológico são fundamentais ao professor de Educação Física, em conjunto com o conhecimento pedagógico, psicológico e filosófico, para resguardar a integridade física de Maria cabe ao professor Paulo:

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46086

Nos últimos 20 anos a Educação Física passou por transformações significativas no que se refere ao seu planejamento pedagógico. Muitas mudanças foram sugeridas, muitos debates ocorreram e hoje é possível afirmar que existe um conjunto de conhecimentos possível de ser identificado como conteúdo da Educação Física Escolar.

Nesse sentido, levando em consideração a síntese das muitas concepções já publicadas, podemos afirmar que são conteúdos gerais:

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46085

Um professor de Educação Física explicita preocupações acerca do esporte na escola:

“Os rumos pedagógicos em relação a ele (esporte) não devem estar ligados à transformação do Brasil em uma nação olímpica, mas sim permitir a todos os escolares a realização de atividades corporais e o conhecimento de um bem cultural construído pela humanidade ao longo do tempo. Um desses propósitos deve o ser o da análise de como o esporte em nosso país vem sendo coisificado por empresários de crianças, por ‘peneiras’ excludentes em todas as regiões do país [...] e até a inclusão nas mentes infantis da ascensão social via esporte”.

José Ricardo da Silva Ramos. Jornal do Brasil, 17 out. 2001

A partir desse texto, pode-se afirmar, quanto à prática da Educação Física e do Esporte na escola, que

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46084

São características pedagógicas da Educação Física:

I - o ensino do jogo a partir dos seus fundamentos porque, ao segmentá-lo, consegue-se desenvolver uma técnica apurada através de atividades educativas para o desenvolvimento do homem como um todo;

II - o estabelecimento de conexões entre diferentes disciplinas, pois só assim se consegue promover uma matriz de conhecimentos inter-relacionados com a sociedade;

III - a ênfase nos conhecimentos de cunho técnico-biológico mesmo em atividades de cunho pedagógico porque, ao se auto-conhecer biologicamente e conhecer a técnica do exercício, o professor melhora sua prática profissional e o aluno adquire autonomia ;

IV - a consideração ao contexto sociopolítico, econômico e educacional presente nas atividades propostas ao aluno, em qualquer ambiente.

Estão corretas somente as características

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46083

Um professor de Educação Física de uma turma de Ensino Médio encontra-se diante de um problema de avaliação. Seus alunos apresentam diferentes níveis de desempenho físico-técnico nas atividades realizadas durante o bimestre. Diante de tal situação, cabe ao professor, pedagogicamente,

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46082

Ao elaborar passos para a aprendizagem de determinado gesto esportivo, o professor só permite que seu aluno avance quando executa o movimento anterior da forma desejada. Ao proceder dessa forma, esse professor está adotando teorias da aprendizagem apoiadas

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46081

De acordo com Vygotsky (1984), “as maiores aquisições de uma criança são conseguidas no brinquedo, aquisições que no futuro tornar-se-ão seu nível básico de ação real e de moralidade” (p. 14). Seguindo a perspectiva desenvolvida por Vygotsky, devese considerar jogo como atividade que:

I - responde à demanda da sociedade em que vivem as crianças e da qual devem chegar a ser membros ativos;

II - utiliza uma série de faculdades como a percepção, a memória, o pensamento e a imaginação;

III - é imaginária e criada pela criança ao brincar;

IV - possui sentidos e significados fixos.

Estão corretos somente os itens

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46080

O professor Henrique vai dar uma aula de voleibol para uma turma de crianças com 8 a 10 anos, de ambos os sexos e ainda não iniciadas na prática deste esporte. O material que o professor tem à sua disposição é satisfatório e o número de alunos é em torno de 20. Considerando tais condições, o procedimento metodológico mais adequado para a concepção aberta (ou global) de aula é

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46079

De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental, qual a atitude que o Professor de Educação Física deve tomar quando em suas aulas identifica alunos portadores de necessidades especiais?

Os alunos portadores de necessidades especiais devem ser dispensados das aulas de Educação Física

PORQUE

é mais seguro encaminhá-los a instituições especializadas para que sejam atendidos por professores adequadamente preparados para lidar com cada tipo de deficiência.

A esse respeito, pode-se concluir que

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46078

De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental, qual a atitude que o Professor de Educação Física deve tomar quando em suas aulas identifica alunos portadores de necessidades especiais?

Garantidas as condições de segurança, o professor deve fazer adaptações e criar situações de modo a possibilitar a participação de todos os alunos

PORQUE

é necessário incluí-los em turmas especiais, organizadas considerando as várias deficiências, nas quais possam ser mais bem atendidos.

A esse respeito, pode-se concluir que

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46077

A determinação da via energética predominante de uma atividade física contribui para o planejamento do treinamento físico. No gráfico abaixo estão apresentadas as vias energéticas predominantes e o tempo (duração) de uma atividade.

Assinale a opção que apresenta corretamente a via energética predominante em cada uma das modalidades esportivas indicadas, considerando a duração e a intensidade dos gestos técnicos respectivos.

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46076

Nunca se falou tanto em corpo como neste tempo que tanto o profana. Nas fábricas, o corpo do operário atrela-se ao ritmo da máquina, como Chaplin critica em ‘Tempos Modernos’. Por que os agricultores, que fazem tantos trabalhos físicos, não possuem corpos atléticos? Seus corpos, em geral, são duros, rígidos, contraídos, porque usados apenas como ferramentas e não como expressão do ser que somos nessa indivisível unidade corpo-espírito.”

Frei Betto. Jornal do Brasil, 14 jun. 2001

O culto ao corpo é uma expressão que denota algo acompanhando o homem na sua trajetória histórica. Entre outros espaços de aula, o ambiente das academias de ginástica está entre aqueles em que este fenômeno se manifesta com mais intensidade. Nele, o professor de Educação Física deve incentivar o treinamento físico e os cuidados estéticos. Não pode, entretanto, desprezar possíveis exageros incompatíveis com o bem-estar físico e emocional de seus alunos. Com base no texto, pode-se afirmar que, para cumprir seus papel na sociedade, o profissional de Educação Física deve

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46075

“ O ‘Segundo Tempo’ é uma grande parceria envolvendo os Ministérios da Educação, Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Justiça e Defesa, Municípios, Estados, SESC, SESI, SES, Clubes Sociais e Organizações Não Governamentais, com o objetivo de facilitar o acesso à prática esportiva dos alunos matriculados no ensino fundamental e médio das escolas públicas, principalmente em áreas com vulnerabilidade social. O aluno tem todo o incentivo para praticar três modalidades esportivas fora de seu horário normal de estudo. Ele recebe uniforme, material esportivo e reforço alimentar, além de atividades complementares, como de saúde, cultura e reforço escolar. O “Segundo Tempo” beneficia 500.000 alunos em 1.800 núcleos que envolvem o trabalho de 8.500 profissionais, entre professores de Educação Física, estagiários e agentes comunitários. Está implementado em 550 municípios de todas as unidades da federação. O Presidente autorizou ampliação do atendimento, neste ano, para 1.000.000 de alunos.” (Programa Segundo Tempo – ME) A respeito desse Projeto, que faz parte da política pública relacionada à cultura esportiva e de lazer no Brasil, podese afirmar que

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46074

“Quando o iniciante ouve o berimbau, assiste ao jogo, presencia
sua primeira roda, fica deslumbrado. Sente algo no
coração e, intuitivamente, compreende o que é o jogo da
capoeira. Se acreditasse firmemente nesta primeira intuição,
tudo estaria bem. Mas breve – na prática – esta revelação
vai ser obscurecida: o iniciante procura uma academia, entra
em contato com outros alunos, com capoeiristas mais
adiantados, e se coloca sob a tutela de um professor. Na
humildade e no desamparo de quem nada conhece, ele se
esquece daquela primeira visão, e no inter-relacionamento
com colegas e professor aparecem todos os aspectos – positivos
e, também, negativos – do ser humano e da sociedade
em que vivemos. O iniciante sofre, sente-se impotente,
não aceita e não compreende porque algo maravilhoso como
a capoeira – ao ser veiculado, ensinado e praticado – contém
as mesmas mazelas e mesquinharias que afligem o resto
da humanidade.”


CAPOEIRA, Nestor. Os fundamentos da malícia. Rio de Janeiro:
Record, 1992, p. 123.

O relato de Nestor Capoeira remete a uma prática pedagógica da Educação Física, na escola e fora dela, que se apresenta distante da realidade concreta, descolada das situações da vida e alheia à possibilidade de oportunizar aprendizagens significativas e prazerosas. Nesse tipo de prática pedagógica,

I - o professor age como um mediador das relações sociais no espaço de aprendizagem;

II - o aluno é o receptor do processo de ensino, tendo como parâmetro a hierarquia do saber e do fazer;

III - a relação ensino-aprendizagem baseia-se na transmissão e assimilação;

IV - o ambiente de aprendizagem é lúdico e desafiador.

Estão corretas somente as características

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46073

“Quando o iniciante ouve o berimbau, assiste ao jogo, presencia
sua primeira roda, fica deslumbrado. Sente algo no
coração e, intuitivamente, compreende o que é o jogo da
capoeira. Se acreditasse firmemente nesta primeira intuição,
tudo estaria bem. Mas breve – na prática – esta revelação
vai ser obscurecida: o iniciante procura uma academia, entra
em contato com outros alunos, com capoeiristas mais
adiantados, e se coloca sob a tutela de um professor. Na
humildade e no desamparo de quem nada conhece, ele se
esquece daquela primeira visão, e no inter-relacionamento
com colegas e professor aparecem todos os aspectos – positivos
e, também, negativos – do ser humano e da sociedade
em que vivemos. O iniciante sofre, sente-se impotente,
não aceita e não compreende porque algo maravilhoso como
a capoeira – ao ser veiculado, ensinado e praticado – contém
as mesmas mazelas e mesquinharias que afligem o resto
da humanidade.”


CAPOEIRA, Nestor. Os fundamentos da malícia. Rio de Janeiro:
Record, 1992, p. 123.

A prática pedagógica acima descrita apresenta sérias limitações, ainda hegemônicas na Educação Física brasileira, que precisam ser superadas. Para isso, sugere-se direcionar a prática pedagógica:

I - ao ensino das competências técnicas, vinculadas à educa- ção de resultados, conforme o planejamento do professor;

II - em consonância com a aquisição de habilidades relacionadas ao desempenho;

III - ao cotidiano, trabalhando, a partir do conhecido, as possibilidades de aprendizagem da cultura corporal;

IV - ao contexto histórico e social de cada conteúdo e às possibilidades expressivas, criticas e criativas.

Estão corretos somente os itens

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46072

A partir dos dados da “Pesquisa sobre Padrões de Vida: 1996 – 1997” do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Monteiro et alli. (2003) mostraram a prevalência de atividade física (realização de pelo menos 30 minutos em um dia na semana) no tempo de lazer, de acordo com variá- veis demográficas e socioeconômicas. A tabela apresenta os resultados proporcionais relativos a estas variáveis.

A partir desses dados e considerando as características da população brasileira, conclui-se que apresentam níveis mais baixos de prática regular de atividade física

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46071

Ao matricular-se nas aulas de alongamento de um projeto social da prefeitura de sua cidade, Ana, de 45 anos, foi submetida a um processo de avaliação inicial. Este procedimento busca investigar

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46070

Na Meia Maratona do Rio de Janeiro, em 1996, o prêmio oferecido para a categoria masculina foi de R$ 25.000,00. Para a categoria feminina a premiação foi de R$ 12.500,00. Em várias outras competições ocorre o mesmo tipo de discriminação. Considerando o contexto social vigente, pode-se atribuir tal discriminação ao fato de que

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira