BANCO DE QUESTÕES

Por Matéria


Fisioterapia


Exercício Trecho enunciado da questão Ano Entidade promotora Visualizar
46164

Suponha que, em visita domiciliar feita a um senhor com 86 anos de idade, com síndrome de imobilidade, já restrito ao leito, deficit cognitivo grave e úlceras de pressão sacral e trocantéricas bilaterais, um fisioterapeuta tenha observado sinais claros de negligência e abuso por parte dos familiares (filho, nora e dois netos adolescentes). Suponha, ainda, em relação a esse caso, que a assistente social da respectiva unidade básica de saúde (UBS) tenha informado que a aposentadoria recebida pelo paciente era parte essencial da renda familiar. Em face dessas considerações, analise as medidas terapêuticas propostas nos itens a seguir.

I -  O paciente precisa ser imediatamente institucionalizado em um asilo e o filho deve ser denunciado às autoridades competentes.

II -  Junto com a equipe multidisciplinar da UBS, o fisioterapeuta deve entrevistar os familiares cuidadores e diagnosticar as dificuldades mais relevantes relativas ao cuidado do paciente, no que se refere a manuseio, transferências e manutenção da higiene do mesmo, visando aliviar o ônus do cuidado.

III -  O fisioterapeuta informará ao médico responsável pelo caso a situação verificada, transferindo para ele a tomada de decisão sobre a possível institucionalização.

IV -  Há necessidade de o fisioterapeuta promover campanha para angariar fundos para ajudar a família na contratação de um cuidador.

Com relação às medidas listadas acima, assinale a opção correta.

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46163

Acerca das técnicas utilizadas pela fisioterapia respiratória em pediatria, assinale a opção incorreta.

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46162

Um fisioterapeuta recebeu um paciente de 65 anos de idade com diagnóstico de enfisema pulmonar para iniciar abordagem em reabilitação pulmonar. A avaliação inicial mostrou índice de massa corporal (IMC) menor que 18, sons respiratórios diminuídos difusamente e presença de sibilos expiratórios e dispnéia aos médios esforços confirmada por teste de caminhada. Os exames complementares não foram apresentados pelo paciente. Diante desse caso, a conduta inicial do fisioterapeuta foi a prescrição de exercícios com base nas respostas apresentadas no teste de caminhada, nebulização com medicação broncodilatadora, oxigenoterapia noturna e dieta para aumentar o aporte calórico.

Considerando que a reabilitação pulmonar é uma terapia que tem como objetivo maximizar a independência funcional do indivíduo e proporcionar sessões educativas a pacientes e familiares, conclui-se que, na situação acima descrita, a estratégia adotada pelo fisioterapeuta

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46161

Isabela, 16 anos de idade, com 20 semanas de uma gravidez de risco e história pregressa de abuso sexual paterno dirigiu-se à unidade básica de saúde para sua consulta pré-natal. Como a jovem apresentava queixas importantes de dor lombar, ela foi referenciada para a fisioterapia.

Nessa situação, o fisioterapeuta que atender Isabela deve, prioritariamente,

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46160

Em casos de mulheres que apresentam incontinência urinária pós-menopausa com sintoma de urge-incontinência, o fisioterapeuta deve

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46159

Uma mulher com 36 anos de idade foi encaminhada a uma clínica de fisioterapia para tratamento de seqüela de lesão nervosa na mão direita devida a hanseníase. No exame físico, apresentou sinais de perda sensitiva e motora característicos de lesão do nervo mediano.

De acordo com o quadro clínico acima descrito, a paciente apresenta

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46158

Do ponto de vista epistemológico, a inclusão precisa ser considerada como um processo vasto, abrangente, complexo, devendo expressar, para diferentes categorias — não só para os deficientes, mas também para minorias sociais e étnicas, idosos, inadaptados, desempregados — a reconstrução ou o refazimento do vínculo social rompido, (...); de excluído não só da participação de bens, mas da partilha com o outro.

M. L. P. Guhur. Dialética inclusão–exclusão. In: Revista Brasileira de Educação Especial, v. 9, n.º 1. Marília (SP): ABPEE/FFC — UNESP, 2003, p. 52 (com adaptações).

Rubens, uma criança institucionalizada, de 8 anos de idade, é portador de múltipla deficiência — visão subnormal, corrigida com o uso de óculos, e diplegia espástica, que o torna dependente de cadeira de rodas. Ele realiza marcha com apoio em curtas distâncias e freqüenta a 4.ª série do ensino fundamental em escola regular pública.

À luz do texto acima, de M. L. P. Guhur, e a respeito do caso descrito, assinale a opção incorreta considerando a atuação adequada de um fisioterapeuta que trabalha com intervenção interdisciplinar voltada para pessoas com necessidades especiais.

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46157

Ana Maria, com 66 anos de idade, apresentou insuficiência cerebral transitória há 8 semanas, com seqüela de hemiparesia esquerda. Em exame realizado, constatou-se que a função da extremidade superior esquerda era viável em sinergia com alguma habilidade motora fina. Por meio de teste muscular manual, observou-se deficit nos dorsiflexores e eversores do tornozelo, porém com boa estabilidade e função da musculatura da coxa e do quadril.

Para Ana Maria, deve-se evitar o(a)

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46156

Uma paciente com 24 anos de idade, vítima de acidente automobilístico com fratura cominutiva exposta da tíbia direita, deu entrada no hospital e foi tratada cirurgicamente com fixador externo do tipo Ilizarov.

Em face desse quadro clínico, assinale a opção correspondente à intervenção fisioterapêutica mais apropriada para o período pós-operatório imediato dessa paciente.

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46155

Na avaliação cinético-funcional de Pedro, paciente com 42 anos de idade, com seqüela de entorse do tornozelo direito, de grau II, em fase crônica, identificou-se pequeno edema residual na face lateral do tornozelo e dor no ligamento talofibular anterior, tanto na palpação quanto na fase de pré-impulsão da marcha. Verificou-se, ainda, força muscular de grau 4, segundo a escala de Oxford, para os músculos fibulares e tibial anterior, que se apresentavam ligeiramente encurtados. A crioterapia por imersão foi um dos métodos de tratamento indicados.

Com relação ao quadro clínico acima e à modalidade terapêutica indicada para Pedro, julgue os itens a seguir.

I -  A velocidade de condução dos nervos motores é diminuída pelo frio, devido ao aumento do limiar dos nervos à estimulação, não sendo contra-indicado o exercício terapêutico.

II -  Apesar da presença de rigidez articular induzida pelo resfriamento do tecido, a criocinética trará grande benefício à recuperação precoce de Pedro.

III -  Visando evitar nova lesão, o exercício terapêutico deverá ser realizado por Pedro quando não mais houver efeito analgésico da crioterapia.

IV -  A associação da crioterapia com as técnicas de compressão e elevação traria maiores benefícios a Pedro.

V -  O efeito analgésico da crioterapia ajudará na instituição precoce do exercício ativo e do alongamento muscular.

Estão certos apenas os itens

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46154

Antônio, com 58 anos de idade, diabético, sedentário e com sobrepeso de grau 1 de acordo com classificação da Organização Mundial de Saúde (OMS), sofreu, há 4 meses, amputação transfemoral cirúrgica, por causa vascular, de terço médio da coxa direita. Chegou ao setor de fisioterapia realizando marcha de 3 pontos com muletas axilares. O coto de amputação apresenta boa contração da musculatura residual, amplitude de movimento normal para todos os movimentos de quadril e ausência de edema. A força muscular está normal para membros superiores, membro inferior esquerdo e musculatura proximal do quadril direito. O paciente está motivado para o processo de treinamento da marcha, apresentando boas condições cardiopulmonares e visuais.

Diante do quadro clínico apresentado, é adequado indicar

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46153

João, um jovem com 21 anos de idade, procurou o serviço de fisioterapia duas semanas após ter-se submetido a uma cirurgia de substituição de ligamento cruzado anterior (LCA) por feixe de tendão patelar. Pelo fato de o joelho estar imobilizado por uma semana, o paciente apresentava redução importante da força muscular para flexão e extensão e encontrava-se com 33º de flexão de joelho. Além disso, faltavam apenas 3º para a extensão total dessa articulação.

Considerando a abordagem terapêutica para o caso clínico acima descrito, assinale a opção que apresenta uma conduta inadequada.

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46152

A relação comprimento-tensão no músculo cardíaco é semelhante à que se verifica no músculo esquelético. A força de contração do músculo cardíaco depende da pré-carga e da pós-carga. O débito cardíaco é regulado pela atividade muscular e pela atividade simpática. Com o auxílio dessas informações, julgue os itens que se seguem.

I -  Durante o exercício físico, ocorre aumento da pós-carga, o que resulta em maior estiramento muscular e melhora do bombeamento cardíaco.

II -  No coração, o comprimento das fibras musculares é proporcional ao volume diastólico final.

III -  O aumento da rigidez ventricular produzido por necrose do tecido miocárdico aumenta a complacência ventricular e a tensão muscular.

IV -  Pacientes com coração transplantado são capazes de aumentar o débito cardíaco durante exercício físico.

V -  Durante exercício muscular, há aumento do débito cardíaco devido à elevação dos níveis de norepinefrina.

Estão certos apenas os itens

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46151

Com relação à mecânica da respiração, assinale a opção correta.

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46150

Considerando a relação comprimento versus tensão muscular e o gráfico acima, que mostra a curva de torque isométrico para a flexão do cotovelo, julgue os seguintes itens.

I -  Um paciente com grau 3 de força muscular (escala de Oxford) terá menor torque isométrico e menor insuficiência ativa muscular ao final do movimento.

II -  O exercício terapêutico para fortalecimento dos músculos flexores de cotovelo deverá ser realizado até 90º de flexão do cotovelo, para maximizar o torque do movimento.

III -  Durante a avaliação da força muscular dos flexores de cotovelo, à medida que ocorre a insuficiência ativa muscular, há uma compensação da perda de tensão, pelo aumento do braço de alavanca até 90º de flexão.

IV -  Pretende-se, ao final de um tratamento de força muscular dos flexores de cotovelo, que o torque isométrico no final do movimento seja igual ou maior que o torque gerado a 90º de flexão.

V -  O exercício terapêutico de flexão do cotovelo iniciado a 0º/180º de extensão permite iniciar o movimento com menor insuficiência ativa, menor torque isométrico e maior tensão inicial.

Estão certos apenas os itens

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46149

 

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46148

Para o desempenho funcional normal, além de força e resistência à fadiga, é necessário mobilidade dos tecidos moles e articulares. Se houver alteração da mobilidade, ocorrerão encurtamentos adaptativos de tecidos moles e articulações. Nesse caso, para se restaurar a flexibilidade por meio de exercício terapêutico especificamente voltado para os músculos, é preciso considerar

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46147

Os indicadores demográficos projetados para o Brasil pelo IBGE, para o período de 1980 a 2020, são apresentados no quadro abaixo.

Uma equipe de saúde fez uma análise dos dados acima para traçar políticas futuras. Infere-se dos dados apresentados que

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
46146

Considerando a tabela acima, julgue os itens a seguir.

I -  O tratamento com uso de órtese e mobilização passiva articular de um paciente com 3 meses de idade que apresente artrogripose múltipla congênita é classificado como uma medida de prevenção secundária de limitação do dano.

II -  Ao se realizar intervenção fisioterapêutica em um paciente com diagnóstico de artrite reumatóide em período de exacerbação, pretende-se uma prevenção secundária de limitação de dano de 4.º nível de ação de saúde.

III -  A intervenção ergonômica em postos de trabalho e a implementação de ginástica laboral diária são consideradas medidas de proteção específica de 2.º nível de ação de saúde.

IV -  Para um paciente cadeirante, a implementação de medidas periódicas de descompressão glútea corresponde a uma ação de saúde de 5.º nível na fase residual.

V -  No caso de paciente com pé diabético, a avaliação periódica da sensibilidade cutânea plantar, para o controle de surgimento de úlceras, é uma importante medida de prevenção secundária na fase clínica da doença.

Estão certos apenas os itens

2004 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
44407

As quedas nos idosos são mais comuns nos indivíduos que apresentam mobilidade ao lado de instabilidade e têm sido consideradas como um sério problema de saúde pública relacionado a essa população. Sendo assim, a abordagem da fisioterapia na prevenção das quedas nos idosos torna-se fundamental para a garantia de sua saúde e autonomia. A etiologia das quedas é multifatorial e um programa fisioterapêutico preventivo deverá envolver diversas estratégias, entre elas uma avaliação cuidadosa e uma intervenção eficaz. No que se refere à intervenção fisioterapêutica voltada especificamente para evitar que as quedas aconteçam, o programa deve incluir:

I− fortalecimento dos membros superiores, porque são elementos essenciais para o equilíbrio durante a marcha e sua fraqueza pode ocasionar as quedas;

II − fortalecimento dos membros inferiores, porque a diminuição de sua força muscular, própria do processo de envelhecimento, reduz a capacidade para resistir às quedas;

III − treinamento de técnicas de levantamento, para evitar que o idoso permaneça por longo tempo no chão se sofrer uma queda quando estiver sozinho;

IV − treinamento de equilíbrio, com a utilização de técnicas específicas, para melhorar a capacidade postural do idoso reduzindo o risco de quedas;

V − verificação dos medicamentos utilizados pelo idoso e suspensão ou substituição daqueles que podem ser os responsáveis pelas alterações que o levam às quedas.

Estão corretas, apenas, as afirmações

2007 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
44406

Dirceu, 45 anos, é portador de hipertensão arterial. Faz uso regular de medicamento anti-hipertensivo, segue dieta apropriada e participa de um grupo de hipertensos, com o qual são realizadas técnicas cinesioterapêuticas indicadas para auxiliar no controle da pressão arterial. No quadro relatado desse paciente, as atividades cinesioterapêuticas realizadas se enquadram no(s) nível(eis) de prevenção

2007 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
44405

Sr. João, 72 anos, viúvo, com sobrepeso, possui sinais radiológicos de lesões articulares indicativos de osteoartrose moderada no joelho direito, acompanhada de sintomatologia caracterizada por rigidez articular e dor localizada, que piora com atividade física e diminui com repouso. Na avaliação clínica, verificou-se ainda hipotrofia do quadríceps direito, crepitação, redução da amplitude articular e da percepção cinestésica, o que está promovendo insegurança para realizar atividades da vida diária. Considerando a fisiopatologia da osteoartrose e o quadro clínico desse paciente, são pertinentes as seguintes condutas de tratamento fisioterapêutico:

I - fortalecimento da musculatura proximal através de exercícios isométricos e isotônicos; alongamento do quadríceps e dos isquiotibiais; recomendação de uso de bengala no lado contralateral à articulação afetada;

II - uso de termoterapia na modalidade de calor profundo no joelho afetado; uso de órteses de imobilização articular em períodos agudos da doença; exercícios isométricos para o quadríceps;

III - prescrição de exercícios de baixo impacto como a hidroginástica; recomendação de uso de calçados com solado adequado para absorção de impacto; uso de órteses para correção ou suporte biomecânico;

IV - orientações ao paciente e à sua família sobre a evolução da osteoartrose e encaminhamento do paciente a uma nutricionista para controle do peso corporal; recomendação do uso de correntes analgésicas como alternativa para alívio da dor articular;

V - recomendação de uso de órtese de suporte (bengala) homolateral à articulação afetada; utilização de técnicas de fortalecimento muscular do quadríceps baseadas em exercícios resistidos; uso de eletroterapia para alívio da sintomatologia dolorosa.

Estão certas, apenas, as condutas

2007 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
44404

A coronariopatia é o transtorno da função cardíaca devido ao desequilíbrio entre a função miocárdica e a capacidade dos vasos coronarianos em suprir o fluxo suficiente para a função normal. Com base nessa informação, analise as afirmações a seguir.

Na coronariopatia, a indicação da reabilitação para coronariopatas torna-se inquestionável diante das evidências científicas que têm recomendação grau A e evidência de nível 1.

                  PORQUE

Na reabilitação hospitalar – fase 1 – a equipe de profissionais é composta por médico, fisioterapeuta, enfermeiro, nutricionista e psicólogo, o que possibilita a melhor reabilitação para o coronariopata.

Analisando as afirmações acima, conclui-se que

2007 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
44403

Paciente de 38 anos, ao realizar uma sessão de exercícios, apresentou elevação de freqüência cardíaca de 120 bpm para 160 bpm. A esse respeito, analise o gráfico a seguir.

Avaliando o gráfico, pode-se afirmar que o aumento da freqüência cardíaca

2007 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira
44402

Maria tem uma filha de 12 anos chamada Carla e, nos últimos meses, tem ficado muito preocupada, pois Carla tem apresentado um crescimento muito rápido e alteração na coluna vertebral. Tais alterações caracterizam-se principalmente por desvio lateral da coluna dorsal, assimetria na altura dos ombros e na crista ilíaca. Maria procurou um Fisioterapeuta que, durante sua avaliação, utilizou o seguinte teste: Carla foi posicionada em pé, com os braços ao longo do corpo e os pés em posição natural. O Fisioterapeuta solicitou que ela inclinasse o corpo para a frente. Durante a realização do teste, o Fisioterapeuta ficou atrás de Carla, com os olhos no mesmo nível das vértebras. O teste realizado é chamado de Adam e tem por objetivo identificar

2007 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira